Bancada elogia manifestações contra reforma da Previdência e pede pressão popular

quinta-feira, 16 de março de 2017
Por: Fernanda Kintschner e Fabiana Silvestre   Foto: Victor Chileno 
Deputados do Partido dos Trabalhadores também criticaram cobertura da imprensa

Os deputados que compõem a Bancada do Partido dos Trabalhadores elogiaram as manifestações em todo o Brasil contra a Reforma da Previdência Social, em tramitação no Congresso Federal por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016. Eles pediram que as mobilizações continuem para que a reforma não seja aprovada da forma como está.

Pedro Kemp foi o primeiro a subir à tribuna. “O povo está acordando. Lamento que alguns veículos da imprensa não deram a cobertura que as manifestações mereciam ou foram tendenciosos. Vários economistas mostram que a nossa Previdência é superavitária. Cerca de 70% são aposentados com um salário mínimo, mas aqueles que ganham mais querem por nas costas do trabalhador a responsabilidade de pagar a conta de supersalários e de bilhões que as empresas devem para a Previdência”, disse.

Para o deputado Cabo Almi, a reforma representa o fim de direitos. “É notória a insatisfação do povo e acredito que mais manifestações virão daqueles que, verdadeiramente, estão sendo lesados com os a retirada de direitos adquiridos durante anos. Muitos vão morrer sem se aposentar”, lamentou. João Grandão, líder do partido, também foi à tribuna e lembrou que a bancada participou da manifestação popular. "Nós estávamos aqui na frente da Assembleia Legislativa e fomos a outros locais de manifestação porque temos uma posição muito clara contra essa reforma que é prejudicial, arrasadora e nefasta para o País", disse.

Ele ressaltou que as mudanças desmantelam a Previdência, na avaliação de fiscais tributários, e fez um apelo para que os eleitores busquem mobilizar a bandada federal para que vote contra a PEC. Amarildo Cruz qualificou a reforma como "proposta infame" e disse que é preciso assegurar a função primordial da Previdência. "Precisamos garantir que as pessoas tenham um final de vida com dignidade e por isso precisamos barrar essa PEC", concluiu.



Permitida a reprodução, desde que contenha a assinatura "Agência ALMS".
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato "Nome do fotógrafo/ALMS".