Projeto denomina Geraldo de Souza Carvalho ponte sobre o Rio Amambai

O 1º secretário Zé Teixeira é o autor do Projeto de Lei
07/12/2017 - 07:42 Por: Heloíse Gimenes   Foto: Victor Chileno

Tramita na Assembleia Legislativa o Projeto de Lei (PL) 277/2017, de autoria do 1º secretário Zé Teixeira (DEM), que denomina Geraldo de Souza Carvalho a ponte sobre o Rio Amambai, localizada na estrada vicinal de acesso à Fazenda Tarumã e outras propriedades rurais, divisa entre os municípios de Amambai e Caarapó.

Geraldo de Souza Carvalho nasceu em 4 de abril de 1920, em Lins (SP), sendo o mais velho de oito irmãos. Após a morte da mãe e a crise econômica de 1932, aos 13 anos de idade ele foi trabalhar em um armazém de secos e molhados. Com muito esforço, conseguiu concluir o curso de Técnico em Contabilidade.

Aos 20 anos de idade, já casado, cursou a faculdade de Economia, na Fundação Álvares Penteado. No município de Valparaíso (SP), Geraldo conquistou a confiança dos produtores da região, tornando-se um respeitado comerciante de café. Em 1954, buscando expandir os negócios, retornou para o Estado de São Paulo e fundou o Café Caiçara, uma indústria de torrefação e moagem.

Quatro anos depois, Geraldo adquiriu terras no então Estado de Mato Grosso, na margem direita do Rio Amambai. “Ele deu o nome de fazenda Tarumã. Eram somente matas e não havia como cruzar o Rio Amambai, senão por barco. Devagar as coisas foram acontecendo. Primeiro se construiu uma balsa pequena para cruzar o rio. Em 1967, Geraldo e um vizinho decidiram construir uma ponte. Os dois fazendeiros aproveitaram para fazer uma estrada melhor, encurtando a distância da ponte até a estrada oficial. Esta foi, por muitos anos, a ligação entre Santa Luzia [hoje Juty] e Amambai. Geraldo Carvalho adquiriu outras propriedades no Mato Grosso do Sul, com muita luta”, destacou Zé Teixeira.

Em 22 de julho de 1988, Geraldo faleceu, vítima de um enfarto. “Assim, em sua homenagem, apresentamos o projeto denominando a ponte de concreto construída pelo Governo do Estado na divisa entre os municípios de Amambai e Caarapó, em substituição à ponte antiga de madeira”, acrescentou.

Permitida a reprodução , desde que contenha a assinatura "Agência ALMS".
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato "Nome do fotógrafo/ALMS".