PL que institui Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como padroeira de MS passa em 2ª

Mato Grosso do Sul era o único Estado que não tinha uma padroeira
20/12/2017 - 15:39 Por: Adriana Viana   Foto: Victor Chileno

Após extensa discussão, o Projeto de Lei 210/2017, de autoria do deputado Dr. Paulo Siufi, foi aprovado em segunda votação na sessão extraordinária desta quarta-feira, 20. O PL institui como padroeira de Mato Grosso do Sul a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A proposta inclui ainda no Calendário Oficial de Eventos do Estado o dia 27 de junho como a data de comemoração à padroeira, lembrando que o dia não será feriado.

“É uma justa homenagem. Mato Grosso do Sul era o único Estado que não tinha uma padroeira, e a partir de agora e com a sanção do governador Reinaldo Azambuja, nosso Estado passa a ter Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como nossa padroeira”, disse o deputado autor do PL. Em seguida, Dr. Paulo Siufi agradeceu a todos os 14 parlamentares que assinaram junto com ele o projeto.

Conforme o deputado, a devoção à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro é bastante conhecida e venerada em Mato Grosso do Sul. “A motivação veio das tradicionais novenas que acontecem todas as quartas-feiras no santuário, e das quais eu participo todas as semanas, e da devoção que a população tem por ela”, justificou Dr. Paulo Siufi.

O reitor do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, padre Dirson Ferreira Gonçalves, ficou emocionado com o resultado da votação e parabenizou o empenho do deputado Dr. Paulo Siufi em incluir a votação do PL na sessão de hoje. “O Dr. Paulo Siufi foi um guerreiro, ressaltou diversas vezes que são mais de 25 mil pessoas passando pelo santuário a cada quarta-feira. O governador já nos disse que vai aprovar a lei. Enfim, temos uma padroeira no nosso querido Mato Grosso do Sul. Essa conquista é um prêmio que não tem preço”, ressaltou padre Dirson.

O projeto de lei recebeu pareceres favoráveis da Comissão de Constituição, Justiça e Redação e da Comissão de Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia. Agora a proposta segue para análise do Executivo.

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.