Campanha Maio Laranja é lançada em Mato Grosso do Sul

Imagem: Lançamento da campanha Maio Laranja
Lançamento da campanha Maio Laranja
08/05/2018 - 11:58 Por: Evellyn Abelha   Foto: Edemir Rodrigues do Nascimento Governo-MS

Foi lançada nesta terça-feira (8) a campanha Maio Laranja para o combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes. Um dos destaques do evento foi a divulgação da cartilha “A culpa não é minha”, que de maneira didática mostra aos jovens como identificar e denunciar os abusos. O evento, realizado na governadoria do estado, contou com a presença de membros dos Poderes Judiciário, Legislativo e Executivo, entre eles o Governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e o deputado Herculano Borges (SD) - autor da lei que institui a campanha -, entidades da iniciativa pública e privada, além de representantes da sociedade civil.

Durante este mês, haverá uma programação especial em todo o Mato Grosso do Sul com realização de audiência pública, palestras em instituições de ensino e divulgação de conteúdos específicos sobre o tema, entre eles a cartilha - que pode ser acessada na versão online. A publicação, de autoria de Viviane Vaz, conta a história da personagem Clara, abusada por um membro da própria família. A narrativa mostra as angústias da menina, as alterações em seu comportamento e destaca a iniciativa da criança de contar o abuso a alguém de sua confiança. “Precisamos conversar com nossas crianças e acreditar naquilo que elas nos dizem, pois muitos ainda não acreditam”, explicou a autora que é coordenadora do Projeto Nova – instituição que promove ações para ajudar pessoas envolvidas na exploração sexual, vitimizadas pela violência (física, sexual e psicológica), expostas a drogas, entre outras situações.

O Governador do Estado, além de ressaltar a importância da lei que institui o Maio Laranja como período de maior atenção para o tema, ainda solicitou que a cartilha seja utilizada de forma extensiva nas escolas do MS. “Mato Grosso do Sul tem uma triste estatística com relação ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Somos o primeiro estado em números de estupros e 85% dessas vítimas são jovens. Precisamos virar essa página, para isso coloco o governo a disposição. Também é preciso que toda a sociedade, junto com o poder público, ajude a combater essa realidade”, afirmou. Reinaldo Azambuja ainda enfatizou o papel da imprensa na divulgação das informações que podem colaborar para a prevenção e proteção contra abuso e exploração sexual.

Para o deputado Herculano Borges, a impunidade ainda é um dos maiores obstáculos. “Há 45 anos uma menina, de oito anos, foi abusada no Espírito Santo e até hoje o crime está impune. Esse caso é o símbolo desse assunto que precisamos debater. Muitas crianças estão sendo abusadas em nosso país e as coisas ficam por isso mesmo, ninguém é punido”, ressaltou. A campanha Maio Laranja é fruto de um Projeto de Lei proposto pelo parlamentar, sancionado em dezembro de 2017. “Com a sanção desta lei nós conseguimos mostrar a importância de nós termos um mês específico para discutirmos essa temática. Maio foi escolhido devido ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual contra Criança e Adolescente ser dia 18 deste mês”, esclareceu.  

A procuradora da república, Danilce Vanessa Ortiz, destacou que o artigo 227 da Constituição Federal prevê que é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à dignidade, ao respeito, à liberdade, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, exploração, violência e crueldade. “Daí ser tão gratificante, como cidadã e integrante do Ministério Público, participar de um lançamento de uma campanha como essa, que rompe o que parece ser um tabu, principalmente em relação a políticas públicas”, declarou. Somente em 2017, foram registrados 54,4 casos de abuso e exploração sexual contra jovens a cada 100 mil habitantes em MS, o que levou o estado a ocupar a segunda posição no ranking nacional, ficando atrás apenas do Distrito Federal. “O Maio Laranja é um passo de muitos que ainda precisam ser dados na efetiva defesa da parcela mais vulnerável da nossa sociedade. Esses crimes comprometem o futuro de nossas crianças e adolescentes, precisamos mesmo de um Maio Laranja, uma cor de alerta, para que nós voltemos os olhos para essa causa, para que os demais meses possam sem coloridos. Coloridos pela alegria, inocência e pelos sonhos de das crianças”, disse.

Para denunciar casos de abuso e exploração sexual disque 100.

Permitida a reprodução , desde que contenha a assinatura "Agência ALMS".
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato "Nome do fotógrafo/ALMS".