Outubro Rosa: “Sou prova viva que câncer tem cura”, diz Mara alertando prevenção

Imagem: A deputada apresentou dados de incidência de cânceres femininos no Brasil e alertou que a prevenção salva vidas
A deputada apresentou dados de incidência de cânceres femininos no Brasil e alertou que a prevenção salva vidas
02/10/2018 - 11:04 Por: Fernanda Kintschner   Foto: Luciana Nassar

O Brasil deve encerrar 2018 com 600 mil novos casos de câncer. A estimativa é do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que também levantou que em Mato Grosso do Sul devem ser registrado 8,7 mil novos casos até 2019, sendo o de mama o principal vilão. Os dados foram apresentados na tribuna da Assembleia Legislativa pela deputada Mara Caseiro (PSDB), que já venceu um câncer de mama em 2006.

“Sou a prova viva que câncer tem cura. Antes de ter eu até tinha receio de visitar quem estivesse enfrentando a doença, porque pensava que era uma sentença de morte. Hoje, após vencer e ver o avanço da ciência, divulgo o quanto posso que é sim possível obter resultados positivos com o diagnóstico precoce. Mulheres: conheçam seu corpo, façam o autoexame. Quando eu percebi o nódulo demorei oito meses para ir atrás do diagnóstico. Adiava, pensava que não era nada. Porém, uma coisa que, talvez, poderia ter sido cirúrgica, me fez enfrentar quimioterapia e radioterapia. A prevenção pode salvar muitas vidas”, destacou a deputada.

O discurso na tribuna nesta terça-feira (2) fez menção ao Outubro Rosa, iniciativa internacional de conscientização para a prevenção, diagnóstico e tratamento precoce de cânceres femininos, em especial o de mama. Em Mato Grosso do Sul, o mês Outubro Rosa foi instituído pela Lei 4.541/2014, de autoria de Mara Caseiro, com co-autoria de Zé Teixeira (DEM) e da ex-deputada Dione Hashioka.

Prevenção salva vidas

Ainda segundo os dados do Inca, apresentados por Mara, em 2016 em Mato Grosso do Sul, 111 mulheres faleceram, sendo 86 por câncer de mama e 25 pelo de colo do útero. Em 2017, somente no primeiro semestre, 37 mortes decorrentes do câncer de mama e 19 do de colo de útero foram registradas. A maior incidência de óbitos acontece na faixa etária de mulheres com mais de 65 anos.

“Graças a Deus eu tive tempo hábil para passar pelo tratamento e ficar curada, viva e saudável para contar esse testemunho a vocês. As recomendações do Ministério da Saúde é que façam consultas médicas regularmente, assim como os exames. Mantenha hábitos saudáveis, como peso adequado e atividade física regulares, para reduzir em até 30% os riscos de câncer. Evitem álcool e cigarro. Amamente. O Outubro Rosa é um movimento de extrema importância, de incentivo, informação e prevenção. Se cuidem”, alertou Mara Caseiro.

Sinais e sintomas

Os principais sinais do câncer de mama, segundo o Ministério da Saúde, são:

Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor; pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito; pequenos nódulos na região das axilas ou pescoço; saída espontânea de líquido dos mamilos.

Saiba mais nesta cartilha e em caso de algum desses sinais procure seu médico.

Permitida a reprodução , desde que contenha a assinatura "Agência ALMS".
Crédito obrigatório para as fotografias, no formato "Nome do fotógrafo/ALMS".
02/10/2018 - Sessão Plenária
Banco de Imagens