ALEMS no combate ao Coronavírus

Projeto de Coronel David é aprovado reconhecendo CACs como atividade de risco

Imagem:
17/05/2022 - 13:19 Por: Assessoria Coronel David   Foto:

Os parlamentares da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul votaram nesta terça-feira (17.05), em segunda votação o Projeto de Lei, em parceria com o deputado estadual João Henrique Catan (PL), reconhecendo os CACs (Colecionadores, atiradores e caçadores) como atividade de risco.

“Esse projeto representa uma vitória aos atiradores desportivos de MS. Isso vai evitar situações de constrangimento a esses atiradores no deslocamento de suas casas até o local de tiro, o local onde eles praticam esse esporte. Esse projeto sem dúvida reconhece a atividade de risco e também influencia positivamente na concessão do porte de armas aos atiradores desportivos pela Polícia Federal. A arma bem usada protege o cidadão de bem “, destacou Coronel David.

Eduardo Bolsonaro apoiou PL de David

Em fevereiro deste ano, o projeto teve um apoio de peso. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL), gravou um vídeo reforçando o reconhecimento dos CACs como atividade de risco. Acesse aqui. 

“Prezado Coronel David, estou aqui ao lado do Marcos Polon, advogado e presidente do ProArmas Brasil, para te parabenizar pela sua iniciativa a favor não só dos CACS, mas a favor de uma justiça da pauta de legítima defesa, que você só tem acesso através do uso de armas de fogo, e é a única maneira de equalizar a força com qualquer tipo de agressor. Parabéns pelo seu projeto de lei”, ressaltou Eduardo Bolsonaro.

Cacs

O projeto dispõe sobre o reconhecimento, no âmbito do Estado de Mato Grosso do Sul, do risco da atividade de atirador desportivo integrante de entidades de desporto legalmente constituídas, com a finalidade de contribuir com os interessados em retirar o porte de armas de fogo, nos termos do inciso IX do artigo 6° da Lei Federal 10.826/2003, aguardando a sanção do governador Reinaldo Azambuja.

As matérias no espaço destinado à Assessoria dos Parlamentares são de inteira responsabilidade dos gabinetes dos deputados.